latex

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Projeto Didático Interdisciplinar: Termômetro e Números Inteiros


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
CAMPUS PROF. ALBERTO DE CARVALHO
DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DE ITABAIANA


Maycon Cruz Da Silva



PROJETO DIDÁTICO INTERDISCIPLINAR:
TERMÔMETRO E NÚMEROS INTEIROS



ITABAIANA- SE
2013




SUMÁRIO
1.      INTRODUÇÃO 
2.      OBJETIVO DO PROJETO 
2.1. Objetivo geral do projeto 
2.2. Objetivo especifico do projeto 
3.      PÚBLICO ALVO 
4.      CONTEÚDOS 
5.      METODOLOGIA 
6.      RECURSOS 
7.      BIBLIOGRAFIA 
8.      ANEXOS 


1.      INTRODUÇÃO

Este projeto tem como finalidade desenvolver um trabalho interdisciplinar em sala, tendo como base a importância de utilizarmos a matemática e as novas tecnologias no nosso dia-a-dia. O principal motivo de escolha desse tema foram as dificuldades apresentas no ensino-aprendizagem dos números inteiros.
Fenômenos relacionados com a temperatura estão presentes em diversas situações de nossas vidas, assim como da vida dos alunos, por isso é um tema que pode proporcionar aos alunos uma aprendizagem significativa. Além disso, a escala termométrica é uma boa analogia à reta dos números inteiros.
Brasil (1998) diz que é muito importante trabalhar os números inteiros com atividades diferenciadas, visto que esse tema é bastante importante para formação matemática do aluno e que apenas a linguagem formal não irá dar suporte ao aluno para aprender tal conteúdo.
Garrutte (2004) defende o uso da interdisciplinaridade no processo de ensino-aprendizagem pois assim o aluno tem possibilidades de ir além do conteúdo programático, impede a fragmentação do conhecimento.
O projeto didático interdisciplinar também oferece procedimentos metodológicos diferenciados. No projeto termômetro e números inteiros serão utilizados os seguintes procedimentos: interpretação e resolução de situações problemas, história dos números e o uso de vídeo como auxilio no processo ensino-aprendizagem, entre outros métodos que estão associados a diversas outras áreas do conhecimento humano.
Temos que, atualmente, um dos maiores desafios da educação brasileira é acompanhar as mudanças ocorridas na sociedade, principalmente os avanços tecnológicos. Segundo D’Ambrósio (1996) a matemática sempre esteve ligada a tecnologia, numa relação que ele chama de simbiótica. Ainda segundo D’Ambrósio (1996) a geração do conhecimento matemático não pode ser separado da tecnologia disponível. Por isso utilizaremos nesse projeto algumas novas tecnologias, tais como o vídeo, o slide, a calculadora, entre outros.

2.      OBJETIVOS
2.1 Objetivo Geral do Projeto
A proposta é que os alunos consigam absorver de sua realidade fatos que possamos usar na construção de seu conhecimento formal sobre os números inteiros.
O uso da interdisciplinaridade é uma oportunidade dos alunos entenderem a interligação entre as disciplinas e perceberem como é possível aprender matemática com interações de situações reais ligada as diversas disciplinas.
2.2 Objetivo Especifico do Projeto
•          Compreender o significado dos números positivos e negativos;
•          Identificar e compreender o uso dos números negativos em situações do cotidiano;
•          Desenvolver o raciocínio lógico.
•          Ampliar as habilidades e a capacidade do estudante tanto na matemática como em outras disciplinas.
•          Introduzir as novas tecnologias na vida escolar dos alunos, principalmente na matemática.

3.      PÚBLICO ALVO
Alunos de 7º ano (antiga 6ª série)

4.      CONTEÚDOS

·         Matemática
Conhecer e entender o conjunto dos números inteiros e suas propriedades é de suma importância para todos os alunos.
·         Geografia
A disciplina de geografia abrange uma vasto campo de informações e é facilmente relacionada com situações da vida real.
Para alcançar o nosso objetivo utilizaremos localidades associadas a seus climas e temperaturas.
·         Física
A física aborda conteúdos e conceitos referentes a calor e temperatura.
·         Química
A química estuda a composição química dos objetos. O termômetro tem como princípio de funcionamento um elemento bastante conhecido no mundo, o mercúrio.
·         Historia
Através da história da matemática, verificar que a matemática é uma construção humana que sempre esteve presente na humanidade e que foi sendo desenvolvida ao longo do tempo.
·         Língua Portuguesa
Incentivar o aluno a produzir textos nas aulas de matemática descrevendo o modo de resolução de algum problema, conclusões sobre algum tema de aula específico, possíveis aplicações do conteúdo visto em sala de aula na vida cotidiana
·         Saúde
É sempre importante ter conhecimentos referente a nossa saúde. Nesse contexto darei uma dica referente ao cuido em manipular objetos que contém o metal mercúrio em sua composição.

5.      METODOLOGIA
Iniciaremos a aula apresentando duas situações problemas, e pediremos para que os discentes apresentes soluções para tais.
Nesse primeiro momento permitiremos que os discentes usem a calculadora, pois o objetivo dessa etapa é o reconhecimento dos números negativos.
Usaremos as seguintes situações-problemas:
1.      Em uma cidade do Paraná o termômetro marcou 15° pela manhã. Se a temperatura descer 17°, o termômetro vai marcar?
2.      Fiz uma compra de RS 2.853,00 e paguei com cheque. Tinha no banco RS 1.827,00. Qual será o meu saldo quando o cheque for descontado?
Logo após, abordaremos um breve histórico sobre o surgimento dos números inteiros e do termômetro. Segundo Miguel (2009), a história é uma fonte de motivação para a aprendizagem de matemática, sendo uma boa maneira de introduzir o conteúdo na sala de aula.
Inicialmente relataremos o seguinte:
Ao decorrer da história da humanidade surgiram novas necessidades de contagem e de relacionar quantidades, o que fez com que o homem desenvolvesse novos símbolos para representar inúmeras situações que iam surgindo. Vale lembrar que surgiram diferentes sistemas de numeração no decorrer dos tempos, sendo os mais antigos originários do Egito, Suméria e Babilônia.
Houve um tempo que não existia dinheiro, os homens praticavam o escambo, ou seja, trocava-se objetos uns com os outros, não havia necessidade da utilização de números, pois não havia lucro nem prejuízo. Com o início do renascimento surgiu a expansão comercial, que aumentou a circulação de dinheiro, obrigando os comerciantes a expressarem situações envolvendo lucros e prejuízos. A maneira que eles encontraram de resolver tais situações problemas consistia no uso dos símbolos + e – (Mais e Menos).  A partir de problemas desse tipo foi que surgiu a necessidade do uso dos números negativos e foi assim que surgiu o conjunto dos números inteiros.
O primeiro termômetro foi construído por Galileu Galilei no século XVII, porém foi somente um século depois que Daniel Gabriel Fahrenheit inventou um termômetros parecido com o que conhecemos hoje, um termômetro por dilatação de mercúrio, ilustrado na figura 1. O mercúrio reage com a temperatura, ou seja, quando adquirem calor e aumentam de temperatura, dilatam-se, e quando perde calor e diminuem a temperatura também diminuem seu volume.


Figura 1: Termômetro
Fonte: http://fisica.ojeseds.com.br

Para reforçar, mostraremos o vídeo “Aula 35 - Matemática - Ens. Fundamental – TELECURSO” sobre a história do termômetro. Mostrarei apenas dos 4 minutos até os 8 minutos.



Vale lembrar que o mercúrio é um metal tóxico que, além de causar séria contaminação ao meio ambiente, pode trazer problemas graves à saúde dos indivíduos. Por isso, se um termômetro contendo mercúrio é quebrado, a primeira atitude é isolar a área, fechar portas e janelas e usar um equipamento mínimo: máscara cirúrgica descartável e luva reforçada para que não haja o risco de contato. Como o mercúrio aparece no estado líquido em temperatura ambiente, o ideal é recolher o metal com uma seringa sem agulha e colocá-lo em um recipiente plástico contendo água; a água reduz a possibilidade da evaporação. A área afetada pelo objeto tem de ser descontaminada com uma mistura de água sanitária e água. Após a limpeza, deve-se abrir novamente portas e janelas para ventilar o ambiente.
Explicaremos aqui a analogia da escala termométrica com a reta numérica dos números inteiros, ou seja, no termômetro quanto mais em baixo o número estiver menor ele será e para cima maior será, já na reta dos inteiros indo para traz (ou esquerda) menor fica o número e indo para frente (ou direita) maior será o número. A reta dos números inteiros é igual a escala termométrica só que na horizontal e que cresce infinitamente para ambos os lados.
Novamente apresentaremos novos exemplos e situações problemas, assim os alunos perceberão que os números inteiros fazem parte de sua vida, e segundo Martini:
“[...] o conhecimento matemático ganha mais significado quando o aluno tem situações-problemas para resolver. Além disso, possibilita ao aluno fazer conexões entre o novo e aqueles que já conheceu. Assim, ele pode desenvolver a capacidade de mobilizar e de gerenciar as informações que estão ao seu alcance. [...]” (MARTINI, 2010, p.16)
Logo após, apresentaremos para os alunos o jogo intitulado “termômetro maluco”, explicaremos as regras para que eles possam jogar.

JOGO TERMÔMETRO MALUCO
O Termômetro Maluco utiliza um tabuleiro para duas equipes, formadas cada uma por dois ou três jogadores, 2 marcadores de cores diferentes, um conjunto de 27 cartas, formados com três cartas de cada um dos números 0; - 1; - 2; - 3; - 4; +1; +2; +3 e +4.
Regras:
1. Cada dupla usa um tabuleiro com o termômetro e um conjunto de cartas que devem ser embaralhadas e colocadas no centro da mesa, formando um monte, com as faces voltadas para baixo.
2. Para iniciar o jogo, cada jogador, na sua vez, coloca seu marcador na posição Zero e retira uma carta do monte. Se a carta indicar um número positivo, o jogador avança; se indicar um número negativo, recua, se apontar para o zero, não move o seu marcador e, se indicar o oposto, o jogador deve deslocar o seu marcador para o oposto do número indicado na casa que se encontra.
3. O jogo continua, com os jogadores retirando uma carta do monte e realizando o movimento a partir do valor da casa do seu marcador.
4. O jogador que chegar abaixo de - 20 congela e sai do jogo.
5. Há três formas de ganhar o jogo:
a) O primeiro jogador que chegar em +20, ou
b) O último que ficar no termômetro, no caso de todos os outros jogadores congelarem e saírem do jogo, ou ainda;
c) O jogador que, terminado o tempo destinado ao jogo, estiver mais quente, ou seja, aquele que estiver com o seu marcador na casa com o maior número em relação aos demais.
Atividade com o jogo
1.      Uma sequência de jogada foi registrada assim: -4; + 5; -2; o marcador ficará em qual casa?
2.      O que acontece com a posição do marcador se tirarmos umas sequência de cartas assim: 5 e -5?
3.      Juliana estava numa determinada casa do tabuleiro, tirou duas cartas: 2 e -5. Com isso sabemos que ela perdeu o jogo nessa rodada. Em qual casa ela estava?

6.      RECURSOS
·         Quadro
·         Giz
·         Projetor
·         Computador
·         Calculadora
·         Jogo TERMÔMETRO MALUCO
·         Situações-problemas
·         Vídeo

8.      BIBLIOGRAFIA

BARBOSA, Sandra Lucia Piola; CARVALHO, Túlio Oliveira de. Jogos Matemáticos como Metodologia de Ensino Aprendizagem das Operações com Números Inteiros. UEL - Londrina, 2008.
BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. 5ª à 8ª série, Brasília, SEF, 1998.
D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Informática, ciências e matemática. Net, Brasília, 1996.
GARRUTTI, Érica Aparecida; SANTOS, Simone Regina dos. A interdisciplinaridade como forma de superar a fragmentação do conhecimento. Revista de Iniciação Científica da FFC, v. 4, n. 2, 2004.
LIMA, Gilmar. Termômetro. Disponível em: <http://www.coladaweb.com/fisica/termologia/termometro>. Acesso em 20 de agosto de 2013.
MARTINI, Grasiela. Estratégias de trabalho para a aprendizagem de operações com números inteiros. 2010.
MIGUEL, Antônio. As potencialidades pedagógicas da história da matemática em questão: argumentos reforçadores e questionadores p. 73-106 (Primeira Parte: 73-89). Zetetiké: Revista de Educação Matemática, v. 5, n. 8, 2009.
Novo TELECURSO; Matemática; Aula 35 - Matemática - Ens. Fundamental – TELECURSO. 12’03”. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=A3rzH8OtVJk>. Acesso em: 30 de agosto 2013.

SILVA, Marcos Noé Pedro. O Surgimento dos Números Inteiros. Disponível em: <http://www.mundoeducacao.com.br/matematica/o-surgimento-dos-numeros-inteiros.htm>. Acesso em 20 de agosto de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...